terça-feira, 31 de julho de 2012 | By: Mel Santos

Aos cacos



Entrego-me...
a essa dor que me consome,
a esse silêncio que me devora,
a essa distância que tem teu nome,
ao desencanto das horas...

Entrego-me...

a essa paz infernal,
a negritude dos dias! Ao pesadelo

do amor cabal...
Nem sombra daquele arco iris... da brisa em 
minha janela,minhas manhãs são gris,
a vida gargalha de mim,
o destino me faz esparrela!
 
A me seguir - impressões de uma
alma vazia...representação de fascínio,
pra não demonstrar covardia...

Queria sair de mim e não mais fazer poesia...
pois, esse dom de encantar é antes,a minha porfia...

Dum medo de parecer menos,

do medo da rejeição,o pavor
de não ser suficiente...
O medo da delação...

 
Querendo exercer poder
fiz-me inda mais demente...
Perdi o que não pude ter,
e hoje te vejo ausente...
Perdi o amor de magia,
amor de alma e de mente!


Mel





Licença Creative Commons









0 comentários:

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel