sábado, 4 de agosto de 2012 | By: Mel Santos

Em minhas digitais


Quando meus dedos roçaram a tua fotografia...
Cada sulco sentido em tua pele me contavam de ti,
era o sal da terra - amor - o teu gosto sagrado, e um
imaginário perfume...
E eu te amei,te amei com desejo...
Colei os meus lábios sequiosos e beijei o teu lume
como se estivesses aqui!

Senti nas digitais os teus traços,teus dilemas de vida,

teus poros suados, e a suavidade que tua alma em mim despertou,
...foi o sonho que sonhei um dia ...
E mais uma vez te amei loucamente,como uma adolescente,
numa real fantasia!

Contornei tua boca - manchei tua foto
com o meu batom carmesim...
delirei numa doída febre de amor...queimei como um estopim...
Perdi o juízo quando ouvi o teu não...pois ao dizer-me eu te amo eu
pensei que era sim...

Supostamente me vi em tua íris... na cor...
enquanto vias outras cores e outra em mim...
Me embaracei no cheiro dos teus cabelos castanhos...
Ficaste em minhas digitais - Boa noite amor!...Até mais!
Te encontrarei em meus sonhos...

Mel
 


Licença Creative Commons

1 comentários:

Bia Hain disse...

Oi, Mel. O amor imprime o contorno de quem amamos em todas as nossas esferas. E depois de sonhar acordada, transporta o objeto de desejo em imaginário. Lindo poema. Tem um sorteio no meu blog, se quiser participar...um abraço!

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel