sexta-feira, 5 de outubro de 2012 | By: Mel Santos

Pois é...





Prazer! Prazer? Prazer...

essa é minha outra metade
a outra maldita parte de mim,
a que berra,que chora,que sente
tesão...e se dá o direito de dizer...

É...sei bem,que é uma covardia
não expressar nem meu pensar,
sentir... Pensa que me sinto bem?

Nãoooooooooo...

Quero assinar minha vida,colocar
minha marca em tudo que faço,
quero assumir minhas rédeas...

Antes...bem antes do fim!



Mel




Licença Creative Commons
























4 comentários:

Bia Hain disse...

Mel, linda escolha da música...demorou, assumir as rédeas da vida é pra já! Um abraço!

Mel Santos disse...

Boa noite Bia!
Você...sempre bom te ver por aqui,obrigada!
Pois é...esse eu contraditório acostumado a se calar,a se ocultar para não agredir...só que ele pulsa e chama pra briga...a qualquer momento:
é só aguardar!

Um beijo amiga blogueira!

Marcelo Cardoso disse...

Ser poeta,às vezes,é morrer um pouco por dentro. Fere ferir em si mesmo a incontrolável veia de colocar as letras em uma pauta de papel, transformando-as em versos lidos, por ler,para o encontro do leitor único de cada quadrante explícito de alma, a alma do autor que se apresenta. Escrever é sim morrer um pouco por dentro. Se assim não o fosse, poesia como esta que acabo de ler, impossível seria, com certeza, encontrar o saciar meu. Eu admirei.

Mel Santos disse...

Boa tarde Marcelo!

Sim tem toda razão,há quem faça poesia rebuscada, de palavras complexas, e devidamente pensadas,a qual admiro,mas não é minha praia,sou a minha poesia...nua e crua...óbvio,não sou a mesma todo dia,obrigada pelo carinho...

Um beijo!


Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel