quinta-feira, 8 de agosto de 2013 | By: Mel Santos

Aleatóriamente



A poesia é como um feto,
forma-se pouco-a-pouco...
Cabeça,membro,pescoço...
Algumas vezes: aborto!




Mel



  Licença Creative Commons
Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada.

6 comentários:

Bia Hain disse...

Oi, Mel, como vai? A poesia é mesmo um pouquinho da gente que nasce, nem sempre como gostaríamos. Um abraço!

Manuel Luis disse...

Uma frase aqui outra ali, pedaços de vida.
Bj

Henrique Caldeira dos Santos disse...

Muitas vezes...
:)
beijinho

Manuel Luis disse...

Venho trazer-te um pouco do nosso Outono e deixar aqui um beijo.

Bia Hain disse...

Mel, como vai?
Não podia deixar de passar a qui e desejar um grande Natal pra você, que os melhores sentimentos renasçam nessa noite e possam trazer só coisas boas em 2014. Um abraço!

Malu Silva disse...

NOVO ANO, novas conquistas, realizações de muitos sonhos.
Que tudo ande por estradas concretas e sempre floridas neste 2014.
Um abraço

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel