segunda-feira, 9 de janeiro de 2012 | By: Mel

Fizemos amor



A emoção tomou conta do nosso encontro,
Pra  sintonia sentida ,havia um nome:

-Desejos!

Revérbero...Efeito bumerangue...
Eu te respirava...enquanto te inspiravas por meus beijos...
A atração tornou-se o liame ,a asa da poesia...
As palavras fluíam sutis,métricamente pensadas,
delineadas entre dedos...Quase um Soneto!

Como num conto de fadas...
Em que os personagens são os autores..duma leveza pueril
Me deixei encantar...pelos teus míticos dueladores...
Onde a espada tornou-se o falo...no embate dos amores



Nossas mentes voavam,o meu pensar era o teu sentir
Até que soltaste as mãos cheias de dedos...
Me confessando num suspiro...que me perder era teu medo
A partir desse momento único,as palavras tornaram-se mágicas,
em nossas bocas eletrizadas...


A mão fez-se pena...era o reflexo do teu corpo,jorrando versos em mim...
Eu ora folha, ora pena...mas sempre palavras...ou nanquim
Ora musa,ora poeta...no entanto poesia...
A  inspiração brotava feito flor, num folhetim...




E  o compasso dos versos era o mesmo do amor...
Que havia em ti...e havia em mim!
Fizemos de nossos corpos...a palavra ,a letra...o poema...
E a poesia se fez da forma mais doce...mais plena!

Nossa filha... poéticamente perfeita!
Fizemos amor...Eu,você,a folha ...e a pena!



1 comentários:

Claudemir Resende disse...

Que delícia de poema Mel! Que sacadas maravilhosas! Me fez viajar longe. Beijos!

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel