terça-feira, 6 de março de 2012 | By: Mel

De olhos cerrados

E o ar novamente se fez...
Como o milagre do sexto dia;
Eis que surge o Universo despontando,
outra vez, como uma brisa em minha poesia...
Eliminando a poeira cósmica,
e o Big Bem que carreguei
em minhas costas...
Quando minh'alma de tanta
saudade enlouquecia...
Eis tua doce presença,
me trazendo de volta um hálito quente
e de ternura...
Um cheiro de preamar,
num riso sincero ,uma doce frescura...
Despertando em mim a arte de amar;
E  a alegria estampou-se na folha;
Da obra fez-se gravura!
Fazendo-me de novo crer
que vale a pena confiar...
 

Agarro-me num voo livre em tua cintura;
Cerro minhas vistas e me atiro pra ti
como num Bungee jumping...
Sem medo de cair... 

 

         Mel



1 comentários:

Bia Hain disse...

Mel, seu poema carregado de entrega encheu meus olhos de água. Vou compartilhar no twitter, me li em suas linhas. Um abraço!

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel