quinta-feira, 7 de junho de 2012 | By: Mel Santos

Liberdade





Sonho...
 
Sair pelo mundo num circo
Voar,como voo nos sonhos
Dar enormes cabriolas
daquelas que fazem voar...

Fugir da minha gaiola,
Saltar da pedra da Gávea,
Me deixar resgatar por
uma astronave...
Ser levada,numa abdução
consentida...
Ahh,quem dera...
Sair limpa dessa vida!
 

Libertar os meus punhos,

soltar minha voz nos dedos,

Estourar a garganta de tanto recitar poesia,
falar de mim,de você e de nós...sem medos!
Viver essa utopia...

Sem corar,sem a voz

embargar,sem pestanejar...

Soltar minha poesia
ao vento,

Desalinhar os meus pensamentos.,
Deixar as palavras aflorarem no ar...

Invadindo-me de perfume
queria vagalumear!

Todavia,nem sei de que

liberdade falo,se é apenas um lume...
Suponho...Um sonho!

(uma luz na bundinha de um vagalume)





 
Mel









1 comentários:

Bia Hain disse...

hahaha, Mel, adorei o final do seu poema! É um sonho realizável, o de fazer o que quiser com liberdade, sem se importar com ninguém. As amarras moram em nós mesmas. Um abraço!

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel