terça-feira, 3 de julho de 2012 | By: Mel Santos

Unânime



 
Desejos plenamente correspondidos
na sede de beber de tua boca a poesia
mais sublime...a febre,a leveza,
a pressa em despir-me...

Em fazer-me teu poema unânime!
 
Vou a ti à galope,me desembrulho,

me desconserto,me desnorteio...
Perco-me só de pensar em te perder...
Qualquer vírgula a mais - a menos
é aperreio...


Valso em torno de ti...em minh'alma
me rodopio...se calas tua poesia...
Eu silencio!


Amo-te,príncipio,fim e meio!
 

Mel

 
Licença Creative Commons






2 comentários:

Tupã Cabrera, Antonio disse...

Táva Guasu Guarani Retã

De Tupã
Para Mel

A é a palavra semente,
A é a palavra origem,
à é o existir antes da origem,

Tupã
Ñande Ru Rembiguai

Mel Santos disse...

Querido Tupã,seu nome já é uma poesia...
Não sei bem o que quis dizer,mas vou interpretar do como entendi,se tiver errado me explique ,por favor!

A = Amor - a palavra semente - a primeira - a que germina dentro da gente.
A = A origem de tudo - o que vem de Deus - a palavra - tão sútil e tão simples.
à = o existir da origem - o som - antes da linguagem - os sentidos.

Xiii,acho que delirei!

Um beijo e obrigada por sua doce passagem por aqui!

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel