sábado, 18 de agosto de 2012 | By: Mel Santos

Loba solitária




Não deveria ceder aos teus encantos,
beber desta poção é suicídio, pois que,
carrego comigo um manto enfeitiçado,    
E neste cálice não há soro anti ofídio!

Gostava de sentir tua alegria, mesmo 
quando pensavas que eu fugia, eu corria 
pros teus braços a todo instante! Me 
encantei por teu amor, como uma loba

solitária se encanta pela Lua dos amantes! 
Inda que o medo gritasse em meu ouvido:
- Chorarás, quando ele partir em retirada;

Ao sentir na pele a maldição, te deixará pelo
meio da estrada, como um pobre soldado
em rendição! E a ti só restará mais solidão!



Mel



Licença Creative Commons














3 comentários:

Rebecca disse...

hola Mel,
te encontré en el blog del amigo Santana. Me atrajo tu avatar con tus ojos azules lindos.

Me gusta tu blog

abrazos

RR^^
http://deseosderebecca.blogspot.com

Bia Hain disse...

Oi, Mel. Comparar a entrega do amor a um suicídio é muito contundente, dependendo do relacionamento. Pois sem o outro, acabamos por morrer um pouquinho. Um abraço!

Leylyane disse...

Olá, sou editora do blog: www.cadernouniversaldepoesia.com.br, eu estou abrindo um espaço no meu blog para novos poetas, está a fim de participar?

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel