terça-feira, 18 de setembro de 2012 | By: Mel Santos

Acorrentada

 
A alma de um poeta
deve ser livre como
um pássaro...

Sua pena deve
seguir ao sabor dos ventos...
sua folha viver ás revoadas...

A alma de um poeta
não deve se prender a nada
...


Mel

 

Licença Creative Commons



Ao som de Marcelo Cardoso














2 comentários:

Gelson da Cruz disse...

"A alma de um poeta não deve se prender a nada..."
Mas se prende, mas se prende...
"Até o pássaro mais livre tem o clima por gaiola"

Gostei muito desse lugar. Parabéns.

Mel Santos disse...

Oi Gelson,é verdade!

E quando se prende,a poesia se intimida...se algema,se consome...e o prazer de amar se torna dor,torna-se gaiola para a alma do poeta...penso e sinto...que o poeta deve amar somente o intocável,o impossível...para enfeitar de dor a poesia de amor...Obrigada! Um beijo doce

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel