domingo, 4 de novembro de 2012 | By: Mel Santos

Imagem



Nessa imagem
sem sal,
sem açúcar,
sem marcas,sem vida,
não sou o que sou...
não tenho expressão ,
tampouco calor,
essa imagem do porta retrato
é só fantasia...


O que sou?

Sou,
cheiro bom - cheiro mal
alegria - tristeza...um acharque
de mim...Sou real!



Água,sangue e pus...
sou sombra e escuridão,
as vezes sou luz...

Há dias, que sou maravilhosa,
n'outro sou fortaleza,
há dias que odeio o espelho,
e nestes dias...não vejo em
mim, nenhuma beleza...

A imagem que faço de ti,
a imagem que fazes de mim,
é só fantasia...

Sou de carne e osso e gordura,
de celulite,estrias,amargura,
tenho pés de galinha e sardas
e minha vida...tantas vezes é parda...

Meus cabelos as vezes sedosos,
ou até mesmo embaraçados,
compõem-me nessa figura,
que não foi feita por mero acaso...

Sou o que sou...sou eu...
nem sei quem eu sou,
quase nada...uma cópia de mim!

[A imagem que vejo
nunca é a que faço...]

esta,
não tem os teus traços,
tem os meus...

e os meus, não é a imagem
de mim,pois o que sou nem
eu sei,sou mistério...enfim...


--
Mel


 




Licença Creative Commons
























2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

És uma cópia de ti.
Para o bem e para o mal...
Magnífico poema, gostei muito.
Mel, tem uma boa semana.
Beijinhos.

PS: obrigado por me seguires.

Mel Santos disse...

Boa tarde Nilson,e uma boa semana pra ti também,obrigada pela visita,beijinhos!

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel