terça-feira, 4 de dezembro de 2012 | By: Mel Santos

Dor


 
O branco se abre
esvoaçam os sonhos...
desfaz-se a espera
nessa angustia doída,


solidão atrevida
me navega nesse
rio de lágrimas...


minha retina enganou-se
golpe de dor e de vista
alvo errado:tens dono,
és esboço, nas mãos 

d'outro artista...

ah,pintei um quadro
insulso - sem cor!
percebo: que só
tenho talento
pra dor...

me dôo de tanto querer
e só sei de um alívio:
morrer pra você...

nessa hora que sou
barco à deriva,parto
rumo a outro horizonte,

quero quebrar-me no vento,
varrer-te do meu pensamento...
antes de inundar-me de ti...



[...és tão fácil de amar]


Mel


 
Licença Creative Commons
























1 comentários:

Joel Munhoz disse...

Olá, Mel!
Adorei a poesia. Bela e profunda!
"[...és tão fácil de amar]"
Ah, levei teu banner para o meu blog....
Beijos e sucesso!!!

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel