segunda-feira, 11 de março de 2013 | By: Mel Santos

Prolixo pensamentar

[

[Poema maluco:como estou,
uai,que rota mais engraçada,sô...]

pensamentos nas pedras 
resvalam,ondas de vai-vem...
marolas sem fundamento,
da natureza  fria de alguém.


sua estocada jamais
fere à toa: [lapida],
dando-nos bofetadas,

ensinamentos,palavra,
que liberta e perdoa.
 
tempo ancião paciente,
mostra quem vai,diz-me
quem fica,transborda-me

o dorso de empáfia,depois,
acalma-me!vê se me explica.

esse pensamentar caudaloso
que voa levando-me a paz

outra vez abnui-me a chama
clamando pelos meus sais.

Rio de mim - de você,vivência que
transborda em "ais"; sede criança
então,sem repetição de momento,

sem alegorias banais.
 

ascende-me em temperança,
bota-me em fogo por dentro,
 

se o que se foi está morto,
redivivo em pensamento.


Mel

 Licença Creative Commons




0 comentários:

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel