sábado, 31 de março de 2012 | By: Mel

Espera

 
Minha poesia
Está criando corpo
nas horas que te espera...
Multiplicam-se versos apaixonados 
feito rubras células...
Como uma bactéria descontrolada...
O sintoma é o delírio...a febre...
Desejo... de ser decifrada!


Mel



[ Olha você tem todas as coisas
Que um dia eu sonhei prá mim ]




Minha poesia vive de amor







1 comentários:

Bia Hain disse...

Aue lindo, Mel, eu poderia tranquilamente usar essa poesia para mim. Melhor ainda o que escreveu no final. A melhor poesia é aquela que vive de amor, tenho certeza. Um abraço!

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel