sábado, 11 de agosto de 2012 | By: Mel Santos

sou emoção




Sinto-me frágil...
como esta pena,
a qual transcrevo-lhes
os meus poemas...
Sinto-me frágil...
emocionalmente abalada,
em cefalalgia...
E minha alma sufocada
em agonia,
Sinto-me frágil...
Tomada por fotofobia,
não vejo luzes,não tenho foco
Preciso adormecer no escuro...
preciso de óculos...
preciso ver além de mim...
Sinto-me frágil...
Sob pressão...tudo lateja
sou emoção!


Mel



Licença Creative Commons

3 comentários:

Malu disse...

Eu sempre fui mais emoção do que razão. Tenho grandes dificuldades com a racionalidade e às vezes isso me prejudica, mas não me arrependo. Belo poema!!!
Um abraço

Bia Hain disse...

Oi, Mel. Em tempos de fragilidade, se auto-preservar se faz necessário. Lindo poema, um abraço!

Anônimo disse...

A fragilidade de sua pena, denota a força de sua alma que lateja em poema, eu só quero a pena que me faz voar sobre sua poesia, plena. beijos venenosamente poéticos.

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel