sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 | By: Mel Santos

Es-pé-ra...



O tempo é estático,
não move as folhas secas,
já caídas à sombra de mim,
Estou sem vento,sem sonho...
sem pétalas! 


Perdi minha cor,
meus melhores anos,

perdi meus janeiros,
na boca já não há mais sabor,
sigo à margem de mim,

quase sem planos...
o amor me deixou,
e foi morar noutro jardim...


Ah,a noite eterna quimera,
a perturbar minha insonia,
nessa medonha angustia,
nessa terrível espera,

na incerteza dos dias...

Olha: Inda que sem promessas,
quero tua mão, apertando a minha,

teus passos a me guiar,
ao findar a peleja,
ao fim da travessia;


Inda que não vingue,
quero sentir teu calor,
teu olhar ao abrigo do meu,
a tua pele almiscarada,

com gosto de fruta madura
a discorrer sob mim
num doce apogeu,

quero,
tua voz arrastada
me pedindo pra ti,
me sorrindo
num abraço,

aliviando no ombro
todo o meu cansaço! 
[me pensa!...]

olha:quando houver inteireza em mim...

[me espera?...]

 Mel


Licença Creative Commons





















1 comentários:

Evanir disse...

A esperança vive em mim,
amanhece comigo,
percorre o dia todo
e, quando anoitece, ela está ainda mais fortalecida
Desejo a você
que também tenha sempre a esperança,
que ela permaneça sempre em seus pensamentos.
Que as estrelas iluminem e guiem seus passos.
Que Deus abençoe seu final de semana.
Beijos no coração carinhos na Alma.
Evanir.

Postar um comentário

Se gostar deixe um comentário

Mel